segunda-feira, 25 de abril de 2011

Meu cabelo é duro, Sr. Luiz Caldas! E eu gosto de pentear e de arrumar!

Lorene, dreads versáteis.


Ainda pensando sobre o maravilhoso site Le Coil, que quem não entrou tem que entrar, continuei as minhas andanças em busca de penteados, cortes e arrumações feitas em cabelos crespos que são interessantes, bonitas, criativas.

Dreads, blacks e flores no cabelo são o nosso lugar comum, é raro ver as pessoas ousando mais que isso, mesmo assim, sei bem o que é impor o cabelão à uma sociedade que pensa que cabelo arrumado são cabelos alisados, palavras de Madame Lambert, minha amiga, artista, pesquisadora e manequim.

Seguem mais imagens feitas no Sarau do Binho (Campo Limpo), na Festa do Boi do Morro do Querosene e no Espaço Urucum.

Desculpem pela falta de nomes em algumas e agradeço aos sorrisos sempre abertos dos modelos.

A busca continua...

P.s.: tenho que melhorar a diagramação, porém acho legal exibir as imagens mesmo assim!

Linda, de tranças. Sempre achei super hoots e ao mesmo tempo delicado, artesanal!


Dreads fininhos, haja amor (Luiz Caldas!).

Dioguis e seus lindos dreads.

Luana e seu black moderado, lindo e cacheado!

Eu adoro este tipo: "sou feliz mesmo!"

O cabelo da Fernanda é um arraso! São uns enroladinhos bem pequenos, lindos!

Vivian, black lindo!

Por que os homens não usam mais os cabelos assim?


Bruno!




Os moços dos dreads variados!

Que importante ela usar os cabelos assim nesta idade e gostar deles!


Tranças simples, muito bonitas!



Este é um chanel!

James Müller, já teve dreads e agora está de black: Funk Como Me Gusta!

Cabelo lindo!


Manoel Trindade e seu black dreadado e uma moça aí.

Indira com laçarote!


Alexandra Ucanda chamosa com lenços.

Luana em um coquê.

Xênia França que muitas vezes sai de cabelos solto fica mais bela com eles envoltos!


Pequenos dreads, quase birotinhos.
O corte do Sidnei do Preto Soul é muito dele!



Luan Luando poeta e cavalheiro.

Fernanda cantora e causadora, cabelos ajudam a causar.

Selma em versão coquê.

Mônica, linda, quem disse que dread não é coisa de mulher?

Um comentário:

  1. Com TUDO isso e com tantas possibilidades, ainda há quem tenha medo de se libertar.

    ResponderExcluir